ARTIGO12

CULTURE CODE: uma ferramenta importante para seu Onboarding

Ingressar em uma empresa pode ser um pouco assustador no começo para o recém-contratado e leva algum tempo até que ele aprenda o jeito de ser da organização.

Para ajudar o novo colaborador a passar por esse processo existe o onboarding, termo usado para se referir a todos as ações realizadas para apresentar a empresa – que inclusive já foi citado em nosso artigo sobre cultura organizacional.

Existem diferentes formas de realizar o processo de onboarding, todos orientados a gerar integração e aprendizado do novo colaborador com a organização. É uma etapa importante na experiência do colaborador e também para demonstrar e comunicar a Cultura vigente. Por isso, se preocupar com o “Aculturamento” das novas pessoas é algo primordial em qualquer processo de On boarding. Mas qual a melhor forma de fazer isso?

CULTURE CODE: o que é?

Algumas empresas investem em kits de boas-vindas com cadernetas, garrafas de água, copos, camisetas e canetas, outras promovem um almoço para integrar o novo membro à equipe e ainda há aquelas que preparam um bilhete carinhoso com um bombom na mesa que o recém-ingressado utilizará.

Todas esses exemplos citados são ferramentas interessantes para promover uma boa experiência de on boarding e, somadas, podem refletir a cultura organizacional vigente naquele lugar. No entanto, é importante que a cultura seja oficialmente apresentada para o novo colaborador para que ele compreenda todos o contexto de valores e práticas culturais incentivados.

Para isso, muitas empresas têm criado seus documentos de Culture Code, que basicamente trata-se de um manual da cultura organizacional capaz de transmitir todo o contexto da organização de maneira clara, interessante e objetiva. Esse guia pode ter qualquer formato – como um livreto, PDF, folhas ou quadros pelo espaço do escritório – e possui a missão de ser um material de fácil entendimento sobre práticas, normas, princípios e comportamentos incentivados dentro da organização. 

Assim, além de garantir que o funcionário entenderá como as coisas são feitas ali, ter um documento formal da Cultura também evita o famoso telefone sem fio, para que as informações não se percam.

Ou seja, não existe um único formato ou aquele que seja o ideal, o que interessa mesmo no manual de cultura é seu conteúdo. Ele precisa ser claro, de fácil leitura e coerente com a linguagem e tom de voz da organização.

Para explicar melhor a importância dos Manuais de Cultura, traduzimos um trecho da entrevista de Jurgen Appelo, autor do livro Managing for Happiness: Games, Tools, and Practices to Motivate Any Team (Gerenciando para a felicidade: jogos, ferramentas e práticas para motivar qualquer equipe, em tradução livre):

Os manuais do funcionário geralmente são escritos pelo departamento de recursos humanos e contêm coisas chatas, como políticas de dias de férias e políticas de despesas, e talvez uma lista de valores corporativos”, diz ele. “Os livros de cultura são histórias de como a organização realmente vive esses valores. Muitas organizações têm culturas ruins; Wells Fargo é apenas um exemplo ”, diz Appelo. “Os livros de cultura podem ajudar a revelar o que de melhor pode estar oculto nas organizações”.

Aqui na AvanSer levamos os Culture Codes a sério. Para nós vai muito além de desenvolver um material gráfico. Trata-se de entender a fundo a organização e a partir disso, criar um material que seja eficiente para transmitir e engajar os novos colaboradores na Cultura da empresa. 

EXEMPLOS DE ‘CULTURE CODE’ PARA SE INSPIRAR

A Cultura da Netflix é um dos grandes exemplos de como um sistema de valores coesos, comportamentos chaves bem definidos e avaliação de desempenho, podem trabalhar juntos para criar uma cultura de excelência.

Como dito anteriormente, o manual de cultura pode ser desenvolvido em diferentes formatos. No caso da Netflix, ele é uma apresentação de 125 slides.

Nesta apresentação, a empresa já mostra sua essência ao dizer que “muitas companhias têm afirmações de valores que soam bem, como: Integridade, Comunicação, Respeito e Excelência. Quando, na realidade, não valorizam isso.” e em seguida apresenta os sete aspectos de sua cultura. Em tradução livre, são eles:

  1. Valores são o que nós valorizamos;
  2. Alta performance;
  3. Liberdade e responsabilidade;
  4. Contexto, não controle;
  5. Altamente alinhado, fracamente acoplado;
  6. Pagar o topo do mercado;
  7. Promoções e desenvolvimento.

O documento aborda de forma prática e detalhada cada um dos sete aspectos da Cultura Netflix. Confira o documento na íntegra clicando aqui

Outras referências: 

Toro Investimentos

Rock Content

Agora que você já sabe o que é e conhece a importância do manual de cultura, está preparado para criar o da sua organização? 

Se você quer desenvolver o seu documento de Cultura e precisa de ajuda pra isso, venha conversar com a gente! É só nos enviar uma mensagem pelo nosso site.

Open chat
Vamos conversar?